Nossa História

 

HISTÓRICO – MARANATA

Pastor Presidente Afonso Napoleão Matos

“Precisamos nos conscientizar que Deus é quem faz todas as coisas, por isso, ele não dá a sua glória a ninguém. Devemos ser servos humildes, uma vez que somos apenas instrumentos em suas mãos.”

A história da CLM (Catedral de Louvor Maranata) em três etapas.

1ª etapa:
Os trabalhos foram iniciados na casa do irmão dias e irmã kátia (rua 06, q – 06, casa 16). lá ficamos por seis meses, fazendo nossos cultos às terças, domingos pela manhã, além de algumas cruzadas na praça da rua 09, no conjunto habitacional turu, que foram de fundamental importância para a consolidação do nosso trabalho.
participaram, em um primeiro momento, a minha família (Cristina, Rafaella, Raissa, Rossanna, Júlia Flavia, Mirella, Isabella e Daniella) e amigos (irmão Dias, sua esposa kátia e seus filhos, irmã Luciene, Gustavo, Ana Paula e Paulo Cesar, irmã Benedita Fonseca Coutinho, Sandy, Sanny, Sandry, Samya e Sandya Santos Coutinho Leite, Wenner e Roberto Fortes. Após seis meses, mudamos para um lugar maior, a saber, a garagem da nossa casa (rua b q- c casa 01, jardim atlântico – olho d´água). já contávamos, nessa época, com meu pai (Francisco Matos), Regina Matos, Mercedes e filhos Regine e Rômulo  Dulce e filhos Nicole, Kelly e Franklin, muitos alunos do colégio literato, vizinhos e convidados. Durante dois anos, estive a frente como líder, pregando, ensinando e trazendo convidados. éramos uma congregação vinculada à igreja presbiteriana do vinhais, que se chamava maranata. Ao final desses dois anos, já realizávamos cultos noturnos e santa ceia, dada pelo Pr. Antonildo Olímpio (Pastor da igreja presbiteriana e meu pastor oficial).Contávamos, aproximadamente, com 40 pessoas, quando foi indicado o Pr. José da hora, presidente do presbitério leste, para nossa congregação. com ele vieram Henrique, Fátima, seus filhos Neto e Sara, Otoniel, Lindalva e seu filho Fabio, Djalma e seus filhos Rafael e Danilo, Erica fortes e outros.

2ª etapa:
Em outubro de 1994, o Pr. José da hora deu início aos seus trabalhos contando com o apoio da sua esposa Edilamar e seus filhos, júnior e Débora e alguns irmãos, como Iracema e Maguil. A cada dia ganhávamos vidas para jesus, contávamos com a simpatia da vizinhança e com o trabalho memorável da nossa líder de mocidade Rafaella.
orávamos e jejuávamos bastante (todos os sábados), com a participação eficiente das irmãs Regina Matos, Edilamar, Fátima e irmão Henrique.

3ª etapa:
Construímos, no 5º ano dos nossos trabalhos, a igreja maranata – sede, para onde mudamos com as obras ainda inacabadas. por motivos superiores, minha esposa, minha filha Rossana e eu nos transferimos para a clínica betesda e fundamos com o Pr. Paulo Ramos, e família, a catedral de louvor betesda, independente da igreja presbiteriana maranata. Após um ano de permanência, ganhamos a presença do Pr. Germano e do irmão Maciel (que viria a ser Pastor Maciel). tivemos um ano de grandes conquistas, com a unificação da catedral de louvor betesda com a igreja maranata, já independente da igreja presbiteriana, que deu origem à catedral de louvor maranata.
ficamos, então, sob a liderança do Pr. Paulo Ramos que trouxe o Pr. Germano e depois o Pr. Joel. Com a mutiplicação do ministério, vieram o Pr. Mário Porto e sua esposa Milca (posteriormente Pra. Milca ).Passaram-se alguns anos e plantamos a igreja da Vila Luizão, que conta com a eficiência do Pr. Henrique Celso, a diaconisa Fátima e o Pr. Júnior Dartanhan. Plantamos a congregação em santa rosa, que consolidou o meu ministério pastoral, conduzida depois pelos pastores Enoque e Sebastião Justino e, finalmente, Pr. Tito Paiva e sua esposa Isabela.
consolidamos a catedral de louvor maranata do vinhais, com a eficiência da Pra. Rutiane Fogolin e sua equipe. fundamos, ainda, a catedral de louvor maranata na cohab, que tem o Pr. Eloilson rosa e sua esposa Iracema à frente da, já citada, congregação.
em 2003, aderimos à visão celular. contamos, hoje, na sede com o Pr. Paulo Ramos e sua esposa Atenas, Pr. Rafael Blume e sua esposa Rossana, Pr. Pedro Targino e sua esposa Silvia Helena, Pr. Sebastião Justino, Pra Sabina Correia e Pra. Ilze Ramos.
mais recentemente, implantamos a visão celular “g5 “ (grupo doA 5). Temos crescido de forma considerável com a multiplicação das células, graças à eficiência dos nossos líderes.

Criado por: Pr. Afonso Matos
Revisão: Marine Lopes